17.90€ 16.11 
Titulo O Filho da Mãe (A trilogia)
Autor José Vilhena
Género
Humor
Proposto por
Luís Vilhena
Editor
Hugo Xavier
Formato
12,5x17,5cm
N.º Páginas
432
Data
Outubro de 2017
ISBN
978-989-8872-04-3
Notas
Vilhena fixa de uma vez por todas o tipo português. Uma obra-prima do humor e crítica sociais.
No começo dos anos 70 do século XX, as obras de Vilhena sofriam uma revolução que antecipava em alguns anos aquela que mudaria o país.
 
O autor concentra-se mais no texto e procura, cada vez mais, fixar em papel os males da nação e das suas gentes. Este volume compreende pois a trilogia, completa e não censurada (por muito que alguns o quisessem!), que narra a vida e feitos tudo menos notáveis do Filho da mãe. Uma obra que assentou que nem uma luva a muito português e fez chorar de rir outros tantos e no entanto constitui-se como um fidelíssimo retrato desta pátria que avança por aí aos trambolhões.
José Vilhena foi, provavelmente, o maior humorista português do século XX. O que poucos sabem é que, para além de tal, era um escritor como poucos!
"Folhear a produção de José Vilhena, em especial nesses anos de luz e chumbo, leva-nos a pensar que [...] os historiadores contemporâneos não valorizaram suficientemente a contribuição aguda do humor e da sátira para novas leituras da vida nacional, e que algum trabalho precisa ainda de ser feito pela academia para que tal integração recolha crédito. " Vasco Rosa in «Observador»

«Autobiografia
Vilhena nasceu em 1927, teve sarampo e todas as outras doenças peculiares nas crianças a quem a providência divina não ligou grande importância. No liceu foi perseguido pelos professores que o chumbaram sempre que puderam. Na Escola de Belas Artes foi um incompreendido. Tragédias sobre tragédias vão-se acumulando como nuvens no céu da sua vida. Aos 20 anos teve uma pneumonia. Aos 21 uma loira. Aos 23 foi chamado a cumprir o serviço militar. Aos 24 conhece uma daquelas mulheres que põem o juízo em água ao mais «sabido». Aos 25 é obrigado a trabalhar numa casa que traficava vinhos. Aí adquiriu uma inclinação muito acentuada para a bebida. Aos 26 vários dramas sentimentais (a carne entra também no sentimentalismo dele) tornam-no um descrente na humanidade, principalmente na parte feminina da humanidade. Aos 27 publica o seu primeiro livro (Este mundo e outro) e é apedrejado pela crítica de alguns jornais. Aos 28 tem uma paixão dupla (fenómeno raríssimo) isto é: apaixona-se por duas mulheres simultaneamente. Aos 29 publica o seu 2.º livro (Pascoal). Aos 30 conhece uma morena. Esta última tragédia assume proporções tão catastróficas que alguns amigos admitem ser o ponto final de uma vida inteiramente dedicada às artes e à contemplação da natureza (ou melhor – de certos espécimes da natureza). - José Vilhena, 1958.»

Escritor, pintor, cartoonista e humorista, Vilhena encantou, divertiu e escandalizou gerações de portugueses ao longo de mais de 50 anos de carreira.
Sem informação.
Álvaro Santos
Edição Cartonada (capa dura)
Lombo direito
Fitilho,
Guardas impressas a cores reproduzindo as capas originais
Edição fac-similada
Edição não censurada
Venha construir esta editora connosco