17.90€ 16.11 
Titulo Nos mares do fim do mundo
Autores Bernardo Santareno, Álvaro Garrido (Prefácio)
Género
Literatura de viagem
Proposto por
Hugo Xavier e Álvaro Garrido
Editor
Hugo Xavier
Formato
15,5x23,5 cm
N.º Páginas
272
Data
Fevereiro de 2016
ISBN
978-989-99438-3-4
Padrinhos
Notas
Na história da literatura portuguesa do século XX, este livro é um objecto estranho e raro, onde a poesia e a realidade dão as mãos num cenário de natureza inóspita que realça o elemento humano.
«Nos Mares do Fim do Mundo foi, em grande parte, escrito a bordo do arrastão "David Melgueiro", na primeira campanha de 1957, a primeira também em que eu servi na frota bacalhoeira portuguesa, como médico. Mas depois desta, tomei parte numa segunda, em 1958, agora a bordo do "Senhora do Mar" e do navio-hospital "Gil Eannes", em que assisti sobretudo aos barcos de pesca à linha: assim pude de facto conhecer, por vezes intimamente, todos os aspectos da vida dos pescadores bacalhoeiros portugueses, em mares da Terra Nova e da Gronelândia, e completar este livro.»

Esgotado há várias décadas, Nos Mares do Fim do Mundo é uma obra única da literatura portuguesa do século XX. Esta edição junta  dois textos inéditos encontrados nos blocos de notas em que Bernardo Santareno anotou estas impressões de viagem e várias fotografias também inéditas do autor embarcado que serão incluídas na edição.

«A partida
Enquanto o “David Melgueiro” se afasta, mais e mais de Lisboa,
eu surpreendo-me com as mãos abertas ao vento,
para nele colher um certo olhar negro e patético,
ou um riso estridente e nervoso que queria ser lágrima,
ou aquele dorido inclinar de cabeça silencioso e resignado,
ou aquele beijo enviado por alguém que me pede uma estrela como testemunho da aventura,
ou a serenidade hirta e requintada de quem, enquanto o navio se distancia, se acusa por não sentir nada (nem mágoa, nem saudade) por mim…
Com as minhas longas mãos abertas ao vento…»
Bernardo Santareno (1920-1980) é considerado o maior dramaturgo português do século XX.
Bernardo Santareno, pseudónimo literário de António Martinho do Rosário (Santarém, 19 de Novembro de 1920 - Oeiras, 29 de Agosto de 1980) é considerado o maior dramaturgo português do século XX. Formado em Medicina psiquiátrica, Bernardo Santareno rapidamente conciliou a sua profissão de médico com a de escritor. Primeiro como poeta, autor de três livros, e, mais tarde, como autor muito influenciado pelas experiências enquanto médico da frota bacalhoeira portuguesa na Terra Nova e na Gronelândia que incluiria no seu único livro de narrativas Nos Mares do Fim do Mundo. Por fim, dedicou-se ao teatro, deixando uma obra na qual se destacam A PromessaO LugreO Crime da Aldeia Velha ou O Judeu; a primeira foi retirada de cena por pressões da Igreja Católica junto do governo salazarista. Alguns dos seus livros foram adaptados ao cinema e a telefilmes.
Sem informação.
Nuno Fonseca
Esta obra incluí dois textos inéditos bem como mais de uma dezena de fotografias do autor embarcado.
Venha construir esta editora connosco