15.90€ 11.47 
Valor mínimo para apoiar este livro
32
Apoiantes
138
Apoiantes Necessários
Titulo Ensaio sobre as Liberdades
Autores Raymond Aron, Ruy Belo (tradutor)
Colecção
Ensaio
Género
Ensaio
Proposto por
Pedro Bernardo
Editor
Pedro Bernardo
Formato
14x21cm
N.º Páginas Estimado
190
Data Estimada
Maio de 2021
Notas
Aron, um dos pensadores europeus mais importantes do século XX, aborda num ensaio magistral a temática infindável das liberdades.
«O erro capital de Marx foi, dizíamos nós, acreditar, ou dizer que acreditava, que só uma revolução radical permitirá libertar o trabalhador, no duplo sentido de aumento do nível de vida e de participação na vida colectiva. O outro erro capital, não de Marx mas dos marxistas, foi extraírem de uma crítica justa uma consequência falsa. As liberdades pessoais ou os direitos subjectivos (políticos), a que Tocqueville se apegava apaixonadamente, não bastam para conferir um sentimento de liberdade e menos ainda uma liberdade efectiva de forjarem o seu destino aqueles que vivem miseravelmente de um salário nunca garantido. Esta crítica é justa, mas a consequência – as liberdades formais são um luxo de privilegiados – é falsa.»

Este ensaio é fruto de três conferências dadas na Universidade da Califórnia, em Abril de 1963, a convite da Comissão das Jefferson Lectures. O tema em questão, o problema da liberdade, foi sempre central na obra de Aron, e, nas palavras do próprio, é um tema «eterno e inesgotável».

A primeira conferência analisa a questão pondo em relação dois autores aparentemente com poucos pontos de contacto, Marx e Tocqueville. A segunda conferência aborda uma questão crucial, a liberdade formal e a liberdade real, assim como a sua aplicação em diversos regimes. A terceira conferência, por fim, trata da liberdade e da sua respectiva articulação com uma sociedade técnica, questão que nos nossos tempos ganhou uma importância renovada.

«Raymond Aron é a figura maior do liberalismo francês do século XX. Na linha de Montesquieu, Constant, Tocqueville ou Elie Havély, integra igualmente a escola francesa de sociologia política.» Nicolas Baverez
Raymond Aron (1905-1983) é um dos pensadores europeus mais importantes do século XX.
Filósofo, sociólogo, jornalista, professor e politólogo, Raymond Aron nasceu em 1905, em Paris, numa família de origem judaica. Fez os seus estudos superiores na célebre École Normale Supérieure, onde conheceu Jean-Paul Sartre. Mais tarde, viriam a ser adversários no plano intelectual, pois Aron foi-se notabilizando pelo seu cepticismo em relação à esquerda francesa, especialmente a negação dos intelectuais marxistas face à brutal repressão do comunismo – O Ópio dos Intelectuais, de 1957, é um ataque contra Sartre, o marxismo e a intelectualidade francesa. Escreveu para o Figaro e o L’ Express, e deu aulas em instituições como a Sorbonne e o Collège de France, tendo tido por alunos figuras como Pierre Bourdieu, André Glucksmann ou Henry Kissinger.

Considerado um dos grandes intelectuais do século XX, é autor de várias obras marcantes. Morreu em 1983.
Sem informação.
Impresso em papel snowbright com certificado ambiental.

Se gostou deste livro também vai gostar de...

Venha construir esta editora connosco