• por Os Editores
    Jan 03

    Livros do Ano 2022

    Livros do Ano
    Vários dos nossos livros têm sido escolhidos como Livros do Ano 2022. Saiba quais:

    Ainda Ontem, de Samuel Joseph Agnon (prémio Nobel) - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Antena 1 (Balanço do ano: Cultura - Livros, escolhas de Teresa Nicolau, Isabel Lucas e Rui Alves de Sousa)

    Contos de Cantuária, de Geoffrey Chaucer (Grande Prémio de Tradução Literária para Daniel Jonas) - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Livraria De A a Zola
    - Livro do Ano para o Expresso (Pedro Mexia)
    - Livro do Ano para o Público (escolha de Mário Santos)
    - Livro do Ano para a Antena 1 (Balanço do ano: Cultura - Livros, escolhas de Teresa Nicolau, Isabel Lucas e Rui Alves de Sousa)
    - Livro do Ano para o portal Sapo24
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho

    A Diplomacia e a Independência de Portugal, de AA.VV. - BookBuilders
    - Balanço do Ano, por Luís Marques Mendes na SIC Notícias

    Ensaios Vol. I, de Michel de Montaigne - E-Primatur
    - Livro do Ano para o Público (escolha de Hugo Pinto Santos)
    - Livro do Ano para o Público (esolha de António Araújo)
    - Livro do Ano para o Público (esolha de Isabel Lucas)
    - Livro do Ano para o Público (esolha de Mário Santos)
    - Livro do Ano para o Público (esolha de Isabel Coutinho)
    - Livro do Ano para o Público (esolha de Ana Cristina Leonardo)
    - Destaque do Ano do Público (escolha de Helena Vasconcelos)
    - Livro do Ano para a Antena 1 (Balanço do ano: Cultura - Livros, escolhas de Teresa Nicolau, Isabel Lucas e Rui Alves de Sousa)
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho
    - Livro do Ano para o Observador (escolha de Joana Emídio Marques)
    - Livro do Ano para a Livraria De A a Zola
    - Livro do Ano para a equipa do Centro Nacional de Cultura

    Histórias Alegres, de Carlo Collodi - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho
    - Livro do ano para o blogue «Deus me Livro» (escolha de João Morales)

    Os Loureiros Estão Cortados, de Édouard Dujardin - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho

    Medos - Antologia de Contos Insólitos Russos, de AA.VV. - Livro B
    - Livro do Ano para a Livraria De A a Zola
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho

    Obra Gráfica - Obras Completas Vol. IV, de Mário-Henrique Leiria - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Rádio Universitária do Minho

    Ofuscante, de Mircea Cartarescu (Menção Honrosa do Grande Prémio de Tradução Literária para Tanty Ungureanu) - E-Primatur
    - Livro do ano Livraria Flâneur (que convidou vários escritores para seleccionarem os seus livros do ano, neste caso, escolha de Diogo Vaz Pinto)

    Paraíso Perdido, de John Milton - E-Primatur
    - Livro do Ano para a Livraria De A a Zola

    «Tenho o prazer de informar o Senhor Director...» - Cartas de Portugueses à PIDE - 1958-1968, de Duncan Simpson - BookBuilders
    - Livro do Ano para o Público (podcast Desordem Mundial, apresentadores e convidados fazem o balnaço do Ano em termos de livros sobre política)

    (Em actualização)

  • por Os Editores
    Out 03

    Bicho-do-Mato Editora junta-se às nossas chancelas

    Notícia
    A partir de 1 de Outubro, a Editora Bicho-do-Mato passa a ser a nova chancela da Letras Errantes Lda. já detentora das chancelas E-Primatur, BookBuilders e Livro B.

    A Bicho-do-Mato, Lda., foi criada pelo editor José Alfaro, em 2009, e ao longo dos últimos 13 anos tornou-se uma casa de referência na edição de textos de teatro e sobre teatro. Do seu catálogo fazem parte autores como: August Strindberg, Miguel Fragata, Alfred de Musset, Alexandre Lucas Pires, Cláudia Lucas Chéu, Denis Kelly, Davide Carnevali, Mohamed El Khatib, Jorge Silva Melo, Ingmar Bergman, David Harrower, William Shakespeare, Ronald Harwood, Joan Didion, Molière, Abel Neves, Edward Albee, Patrícia Portela, Edmond Rostand, Athol Fugard, Georg Büchner, Marivaux, Dennis Potter, Peter Shaffer, Alexandre Herculano, Sófocles, Bernard Pomerance, Arthur Schnitzler, entre dezenas de outros.

    A Letras Errantes, Lda., nas suas várias chancelas, publicara também textos de teatro de autores como Bernardo Santareno, Raul Brandão, William Shakespeare, Álvaro Faria, Luiz Vaz de Camões ou Mário-Henrique Leiria.

    Em função desta vocação comum, estabeleceu-se um acordo que agora permite a integração da chancela Bicho-do-Mato na Letras Errantes, Lda., mantendo-se o objectivo desta última editora, a publicação de obras fundamentais que marcaram a edição literária e a cultura e que supram lacunas do mercado editorial português.

    Em breve o catálogo da Bicho-do-Mato será disponibilizado no site www.e-primatur.com. Para já pode ainda ser consultado o antigo site.


  • por Os Editores
    Abr 04

    Do aumento dos custos de produção e outras vicissitudes

    Comunicado

    No último boletim da E-Primatur em 2021, incluímos um pequeno texto sobre o aumento dos preços das matérias-primas usadas na produção de um livro. Passados três meses, a situação é muito pior, fruto da conjugação de vários factores. Por um lado, a normalidade das cadeias de abastecimento ainda não foi retomada, uma das principais sequelas da pandemia. Por outro, a perturbação causada pela guerra veio agravar ainda mais essa situação, já de si frágil. Por último, greves nalgumas papeleiras da Escandinávia – um dos principais fornecedores desta matéria-prima ao resto da Europa – traduziram-se em maior escassez de papel.

    Desta forma, se no último trimestre de 2021 já vínhamos assistindo a um aumento do custo do papel (na ordem dos 20%) e do cartão (50%, nalguns fornecedores), usado nos livros ditos de capa dura, esses aumentos continuaram no começo de 2022. A isto somam-se os aumentos com maior visibilidade pública (mas de modo algum os únicos), os dos combustíveis e da energia (que se repercutem nos custos de transporte e envio, com os CTT a aumentarem o custo do registo em 0,25 €), que neste trimestre dispararam.

    Ora, o livro, ao contrário de outros produtos, não consegue fazer repercutir no preço final todos estes aumentos: há um limite para o preço, limite esse mais ou menos simbólico e que está directamente relacionado com a percepção de valor que o consumidor lhe atribui. Não podendo encarecer muito mais os livros, isso significa que é a margem operacional da editora que tem de absorver esse aumento de custos. E isto só é viável até certo ponto.

    Para se ter uma noção mais precisa do que estamos a falar, vejamos um caso concreto: Energia e Civilização. O livro foi impresso em Novembro custando sensivelmente 12.000,00 € a produzir1). Se fosse hoje, custaria mais 55%, sendo o preço do cartão o maior responsável pelo grosso deste aumento.

    Mas para melhor clarificação, vejamos como se decompõe a estrutura de custos deste mesmo livro.

    Para os custos apresentados, temos um custo unitário de 5,99€.

    Em direitos de autor (8%), 1,88€ por exemplar.

    O desconto comercial que a Editora dá aos livreiros anda na ordem dos 40% (média ponderada, que inclui as vendas directas – no site e Feira do Livro), o que dá um preço de venda ao livreiro de 14,56 € (preço sem IVA 23,49 € -40%).

    A conta é simples: 14,56€ - 5,99€ - 1,88€ = 6,69€; é este o valor que a Editora apura sobre cada exemplar vendido, a margem bruta para este título (desta margem há ainda a ter em conta os custos de estrutura, ordenados, rendas, electricidade, contabilidade, etc. e o dinheiro para fazer o livro seguinte).

    Ora, nesta equação, foram os custos de impressão – incluídos no custo unitário – que se agravaram substancialmente, reduzindo bastante a margem bruta das editoras (pois nem os preços nem as tiragens aumentaram). A principal consequência, no imediato, é a Editora ter de deixar de fazer livros de capa dura, até a situação se normalizar em termos de custos.

    Foi uma decisão difícil, mas ponderada e necessária para podermos manter a actividade sem ter de aumentar exageradamente o preço de venda dos livros.
     
    1 A obra teve uma tiragem de 2000 exemplares; para um investimento de 11.718,65 euros, a tradução representa 41,5% deste valor, a impressão 47,5% e os restantes 8% dividem-se entre paginação, revisão, design de capa, índice remissivo, custos promocionais, etc.


  • por Os Editores
    Dez 28

    Carta aos Leitores

    Comunicado
    Vintage soldier writing a letter.
    Caros Leitores
     
    O investidor Warren Buffett envia todos os anos aos seus accionistas uma carta a explicar-lhes de forma detalhada os resultados da empresa, através dos investimentos que foram feitos. Na mesma carta vêm também detalhados a filosofia de investimento e os critérios que nortearam esses mesmos investimentos.
     
    Na página da E-Primatur – e também na da Bookbuilders – os leitores têm acesso imediato aos dados dos dois projectos: o dinheiro já angariado, a quantidade de apoios e projectos concretizados e o número de projectos em votação. Quanto à filosofia editorial, julgamos que já é perceptível pelo catálogo que fomos construindo.
    Sendo uma editora, e, por extensão, um agente que opera no sector da cultura, a E-Primatur é também, e antes de mais, uma empresa, que tem de se reger por critérios comerciais, sujeita à lei de mercado e com responsabilidades sociais e fiscais, com todas as implicações daí decorrentes. É por isso importante fazer um pequeno balanço ao fim de seis anos de actividade.
     
    A E-Primatur/Bookbuilders é hoje uma editora sólida do ponto de vista financeiro, e isso deve-se, essencialmente, aos seus leitores, que a apoiaram, tanto na fase de crowdfunding como posteriormente, nas livrarias ou em compras no nosso site. Essa solidez permite-nos hoje fazer projectos que há cinco anos seriam impensáveis, por causa do custo associado.
     
    Dito isto, temos outros desafios pela frente, o principal dos quais o aumento do custo das matérias-primas (papel e cartão) e da energia e combustível: desde o início do ano, o papel que usamos na nossa produção já aumentou quase 20% e as papeleiras já notificaram os seus clientes de um novo aumento de 10% em Janeiro. O cartão – que usamos nos livros de capa dura – aumentou quase 50%; quanto aos preços da energia e dos combustíveis, os próprios leitores sentem-nos todos os dias nos respectivos orçamentos familiares.
     
    Apesar destes aumentos, fizemos um esforço para não aumentar o preço dos livros e é nossa intenção não o fazer em 2022. A única alteração será um pequeno acerto no desconto do livro em fase de crowdfunding; se antes esse desconto se cifrava em 1/3 (33%) relativamente ao preço do livro depois em livraria, agora teremos uma pequena redução: será sensivelmente de 30% relativamente ao preço final em livraria. Esta redução representa um pequeno esforço por parte de quem apoia, mas uma ajuda preciosa para o projecto. Estamos em crer que os Leitores compreenderão a decisão.
     
    Com votos de um 2022 carregado de Boas Leituras!

  • por Os Editores
    Dez 03

    Frustrações

    Notícias
    Caros Leitores,

    Queremos fazer um ponto de situação deste final de ano caótico. Mas, antes de mais, queremos tranquilizar-vos. Como dissemos e mantemos: todos os livros anunciados serão enviados aos apoiantes até ao final do ano.

    Ainda assim, é com uma imensa frustração que temos de anunciar que:


    Depois de meses à espera da aprovação do Autor, este, agora que o livro estava na gráfica a imprimir, comunicou-nos que prefere outra solução gráfica.

    O livro está em impressão, mas o processo já estava atrasado devido à crise europeia do papel.

    O livro será enviado aos apoiantes antes do Natal, mas provavelmente o carteiro só o deixará na caixa de correio na semana seguinte.

    Anunciaremos a nova capa assim que for aprovada.


    Na gráfica a imprimir.

    Infelizmente o processo atrasou-se devido à crise europeia do papel. O livro será enviado aos apoiantes antes do Natal, mas provavelmente o carteiro só o deixará na caixa de correio na semana seguinte.


    Este livro teve um apoio dado à tradução pelo Instituto Romeno, o que nos permitiu, apesar de a tradução ser bastante mais cara, termos um número de apoiantes ligeiramente menor do que é habitual em crowdfunding. No entanto, devido a mudanças na presidência do Instituto Romeno, os contratos relativos aos apoios apenas foram enviados a seguir ao Verão, o que atrasou todo o processo editorial.

    O livro será expedido na semana de 13 de Dezembro, devendo chegar aos apoiantes antes do Natal.


    Este livro teve um apoio para a tradução dado pelo Instituto Romeno, o que nos permitiu, apesar de a tradução ser bastante mais cara, ter um número de apoiantes ligeiramente menor do que é habitual em crowdfunding. No entanto, devido a mudanças na presidência do Instituto Romeno, os contratos relativos aos apoios apenas foram enviados a seguir ao Verão, o que atrasou todo o processo editorial.

    Infelizmente o processo de produção atrasou-se devido à crise europeia do papel. O livro será enviado aos apoiantes antes do Natal, mas provavelmente o carteiro só o deixará na caixa de correio na semana seguinte.

    Todos estes livros só chegarão às livrarias em finais de Janeiro de 2022.

    Iremos informando ao pormenor sobre as datas de final de campanhas de crowdfunding e de expedição através das redes sociais e do nosso boletim electrónico.

    Terminamos voltando a pedir desculpas aos nossos leitores.

Venha construir esta editora connosco